sexta-feira, 19 de janeiro de 2007

O guerreiro


O Guerreiro é um texto enigmático. Quatro personagens. Um arquétipo de amor, magia, união e lirismo. Com um estilo que nos faz lembrar Nietzsche em “Assim falava zaratustra” o autor nos leva para terras distantes do nosso imaginário. Um texto riquíssimo e um autor brilhante. José Dagostim, escritor e poeta de Criciúma, nos presenteia com essa grande obra. O Veneza de Brasileiros agradece.

Osvaldo Barreto



O olhar para o leste anuncia o tímido clarear laranja forte e dispersa as sombras... O visionário incorpora a luz. Os passos são claros. O som do sino desperta a visão...

Ao norte, levanta-se o portal do guerreiro. Passos ainda no escuro, mas com o sol interior anunciando o renascer e o guerreiro lança-se ao encontro do destino... Da comunhão permanente de estar ao seu lado em todas as ações, anuncia apoio incondicional...

Ao oeste, o portal do mago dá sabor a sabedoria compartilhada, onde, corpo e alma escrevem a verdade na areia, pois é assim que deve ser a construção do saber; a cada manhã um novo saber se anuncia. Ciclo que rompe com o fatalismo e recria a vocação, protegendo a caminhada até a fonte...

No sul, o amante te acolhe. As mãos calejadas das lutas vividas, da esperança renascida de um olhar criança... Os ideais se fazem presente no sabor pela luta. Sou o vento que dá sentido a sua arte. Que toquem os tambores e despertem os sentidos da vida!... Minha missão é dar sabor a vida, tua vida...

Constela-se o arquétipo, agora dois inteiros unem-se aos seres evoluídos do céu em plena harmonia com os seres evoluídos da terra. Abre-se o portal da luz e de olhos fechados transcendemos ao som do silêncio...

A luz que transcende recria o amor incondicional e garante a vida de plena felicidade. No horizonte nossa missão protege o ciclo da natureza em comunhão, e a verdade projeta-se como uma flecha que num só ato dissolve a dor... Da luz de nosso olhar renasce a felicidade, reconstroem a felicidade coletiva...

O ritual da vida faz e se desfaz em ciclos de simplicidade e humildade... O guerreiro renasce no despertar da alvorada, abrindo o portal da luz e oferecendo a sua amada um inteiro conectado a outro inteiro na profusão da eternidade. Um momento claro, um orgasmo cósmico que une os versos no universo.

“O visionário sonha,
o mago indica o caminho,
o guerreiro define a estratégia
e o amante se põe a caminho...”

José Dagostim

OUTRAS POSTAGENS:

-Céu
-Praia à Noite
-Luz e Flor
-Jardim Fragoso sem Jardim
-Chove ou não chove
-Mergulho
-Lua no telhado
-Viva o coletivo no over-bar
-Irmãs Gêmeas
-Cores da Manhã
-Amar por Inteiro
-A mulher Azul e o Homem Cabeça de Fósforo
-Preço do Brilho
-Litoral
-Fé
-O Sol virá
-Anjos Amarelos
-Torres Gêmeas
-Erosão
-O Dono do Lugar
-Razão D’Alma
-Fadiga
-Luz
-O Amor Floresce num coração de Concreto
-Fênix

2 comentários:

José disse...

Olá, Pessoal!
Gostei do sitio. Sobre o prefácio do "O Guerreiro" fiquei intrigado, tenho dois livros que não li do "Nietzsche", pois já estou lendo.
Agradecido, José

Osvaldo Barreto disse...

Que bom, José, é assim mesmo que funciona o Veneza. Promover a cultura. Esse efeito também ocorre comigo quando assisto a um filme ou leio um livro sobre uma personalidade ilustre. Procuro comprar um livro ou busco na internet algo sobre esse personagem. Chamo isso de “propagar a cultura”.

E para as outras pessoas que não leram “Nietzsche” deixo um desafio.

Será que o meu comentário está correto???? Comprem o livro e comentem aqui!!! (Não vamos ser papagaio de pirata. Tenha a sua opinião)!!!!

Abraços, José Dagostim!!!! E mais um vez o Veneza agradece!!!