sábado, 24 de fevereiro de 2007

José corajoso


José corajoso
corajoso José
que enfrenta a vida
como ela é.
Jovem foi guia de cego,
pivete e ladrão,
correu da polícia,
parou em outro chão.
Ali foi servente de pedreiro,
subiu às alturas,
morou em favela,
comeu rapadura.
Descobriu o amor
por caminhos difíceis,
estuprou a Gildásia
uma flor de meiguice.
Casou porque quis
e também os irmãos dela.
Continuou servente
morando em favela.
Vieram os filhos
e também as amantes.
José corajoso
agora e antes.
José corajoso
corajoso sim
de vida comum
sempre assim:
construindo casas,
desfazendo sonhos,
acreditando em Deus,
esconjurando o Demônio.
José corajoso
que sempre diz:
não quero ser filósofo de palavras vãs
meu medo é estar vivo hoje
ou estar morto amanhã.

Texto de jjLeandro
Imagem de Osvaldo Barreto


ANTERIORES

-Da solidão
-Noite Mar
-A Noite
-Mapas
-Panorama
-Entre outras
-Em Tempo
-Violência
-Rua das Flores
-Flores
-Ao Entardecer (Canoa)
-Maré Cheia
-Navegante
-Nascimento
- “O Mar que nos separa” Livro de Marcos André Carvalho Lins
-Ciranda
-Cicatrizes
-Chove ou não chove
-Mergulho
-Lua no telhado
-Viva o coletivo no over-bar
-Irmãs Gêmeas
-Cores da Manhã
-O Guerreiro
-Amar por Inteiro
-A mulher Azul e o Homem Cabeça de Fósforo
-Preço do Brilho
-Litoral
-Fé
-O Sol virá
-Anjos Amarelos

2 comentários:

jjLeandro disse...

Grande Osvaldo,

vc e sua delicadeza de estar sempre prestigiando os amigos. Isso é quase um nepotismo(rsrsrs) não fosse a sua criatividade e talento na produção dessa arte p ilustrar o poema.
Abração, mano

Osvaldo Barreto disse...

Rsss... Acho que é mais generosidade desses talentos do que nepotismo meu.
Abraços e obrigado por aceitar o convite, Leandrão!!!